Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quinta Emenda

Tenho o direito de ficar calado. Mas não fico!

Quinta Emenda

Tenho o direito de ficar calado. Mas não fico!

Deplorável

Por Eduardo Louro

 Os "encarnados" caíram para o terceiro posto

 

Deplorável exibição do Benfica, esta noite no Parque dos Príncipes, não repleto de portugueses – nada disso – mas, mesmo assim, com mais de 15 mil emigrantes. Que mereciam outra coisa, e especialmente outro empenho dos jogadores.

Sim, foi pelo desempenho dos jogadores. Pelo desempenho e pela falta de empenho, que não é a mesma coisa. Pelo desempenho é responsável o treinador, que não consegue pôr a equipa a jogar futebol e os jogadores a fazerem o que cada um tem que fazer em campo. Pela falta de empenho, também. Porque não tem condições para os motivar e para lhes incutir crença, que é aquilo que os faz correr, dar sempre mais e acreditar.

O treinador... que simplesmente acha que o PSG “é munta forte”. Que, na véspera de um jogo destes, e vá lá alguém perceber porquê, diz que tem o sonho de treinar Messi e Cristiano Ronaldo e que ambos têm lugar na mesma equipa. De que seria certamente ele o treinador…

Demencial!

Que se poderá dizer mais?

Que é tempo de acabar com este estado de coisas. Que é tempo de alguém começar a assumir as suas responsabilidades e parar de sacudir a água do capote!

 

Adeus PT. Oi CorpCo!

 Por Eduardo Louro

 

A PT e a brasileira OI anunciaram hoje a há muito previsível – desde que, há meses, Zeinal Bava assumiu a presidência da operadora brasileira – mas sempre desmentida fusão.  Que dará origem à CorpCo, o maior operador de telecomunicações de língua portuguesa, com 100 milhões de clientes, que integrará o top 20 mundial do sector.

Mas uma empresa brasileira, sedeada no Brasil e a partir daí governada por Zeinal Beiva. Que a anunciou como operador de quatro continentes, mas onde verdadeiramente apenas um conta: Timor não conta e sempre pouco contará, e Angola, que contava, irá deixar de contar. Por várias razões, entre as quais a forte presença de Isabel dos Santos na Zon, e agora na também nova fusão com a Sonaecom.

Adeus PT, adeus a um dos maiores e mais qualificantes investidores nacionais e adeus a um dos mais qualificados centros de decisão nacional, a dar um ar de canto do cisne ao Data Center da Covilhã (na imagem), acabado de inaugurar.

Não estou nada certo do interesse nacional nesta fusão. Mas, pelo contrário, estou bem certo do interesse dos principais accionistas nacionais, em particular do BES e da Ongoing, de Nuno Vasconcelos, ambos com assento na administração. O que, pelos vistos, levanta grande perplexidade no Expresso, como se percebe pelo que escreve o Nicolau Santos, que pergunta o que é que eles (Ongoing, evidentemente) “fazem no board,” “quem lhes deu a mão” e o “que é que a nova empresa ganha com isso”.

À última, responde ele próprio: “nada, só perde”. Às duas primeiras, como ele não responde, respondo eu: é simples, ao que há muito se sabe são accionistas de referência da PT; à qual foi atribuída a representação de 38% no capital da nova empresa.

A pergunta poderia ser outra: como é que a “completamente descredibilizada” Ongoing atingiu tal posição?

Mas essa era para fazer há muito tempo, agora é muito tarde!

 

 

O melhor

Por Eduardo Louro

 

A recente vitória de Rui Costa no campeonato do mundo de ciclismo de estrada de que aqui se deu na altura conta – a propósito, aqui fica a pitoresca narração em directo na televisão espanhola  – prestou-se a que se instalasse de imediato uma nova discussão, a que uma certa parte do país dá muita importância: seria ou não já Rui Costa o melhor ciclista português de todos os tempos?

Bem nos lembramos que, ainda há poucas semanas, bastou que Cristiano Ronaldo marcasse três golos em Belfast, e atingir e bater uma velha marca de Eusébio - lograda em bem menor número de jogos, mas não é isso que interessa – para ser aberta idêntica discussão à volta dos dois futebolistas, que foi até levada muito a sério por muita gente. Desde logo pelos adeptos, e em particular pelos chamados notáveis, de Benfica e Sporting, mas também por Luís Figo, certamente sentido – e avisado da velha máxima portuguesa de que “quem não se sente não é filho de boa gente” – por o terem deixado de fora, que decidiu a contenda sentenciando que king só há um: Eusébio e mais nenhum!

O Eusébio do ciclismo é, como se sabe, Joaquim Agostinho. O benchmarking de Rui Costa faz-se pois com Joaquim Agostinho que, sendo uma figura tão nacional como Eusébio é, para os adeptos leoninos, o Eusébio do Sporting, o que não deixará de ser irónico à luz da discussão com Cristiano Ronaldo.

São discussões que não fazem sentido, porque não faz sentido comparar o que não tem comparação tal a distância, no tempo e em todas as envolvências que determina, que separa cada realidade.

É uma discussão que - mesmo quando bem conduzida, como os interessados aqui poderão ver - não deixa de ser estúpida. Mas que é muito frequente entre os portugueses, que precisam sempre de encontrar o melhor, o maior… Perdem-se nesses exercícios, sempre condenados à parvoíce, ao disparate, ao non-sense

Quem não se lembra no que deu aquela do maior português?

Não nos preocupamos muito em honrar os verdadeiramente grandes. Nem em admirar sem condições os que dentre nós mais se distinguem. Parece que somos de coração pequeno, com apenas um lugar. Ali não cabe mais que um…

Isto poderá ter alguma coisa a ver com a nossa ancestral inveja, que nos condiciona no reconhecimento valor e mérito aos outros de nós. Se temos tanta dificuldade nisso poupamo-nos e reconhecemos apenas um – o maior!

Mas poderá também ter a ver com o individualismo e o espírito competitivo que se acentuou na sociedade portuguesa, particularmente nos últimos vinte anos. Tem sempre de se encontrar o melhor!

 

Pág. 6/6

Acompanhe-nos

Pesquisar

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Mais sobre mim

foto do autor

Google Analytics