Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Quinta Emenda

Tenho o direito de ficar calado. Mas não fico!

Quinta Emenda

Tenho o direito de ficar calado. Mas não fico!

PIOR A EMENDA QUE O SONETO

Por Eduardo Louro

 

Acredito que Pedro Passos Coelho tenha gostado de se ver na televisão. Com o grau de inconsciência de que voltou a dar prova, é bem possível que esteja satisfeito com a sua prestação e convencido de se safou bem.

Se assim for, também aí está errado!

É certo que a tarefa era bem difícil. Depois do erro tremendo da TSU não era fácil minimizar danos: pela dimensão do próprio erro mas, fundamentalmente, porque era requerida uma inteligência política que claramente não está ao seu alcance.

A entrevista apenas piorou os cenários que já estavam traçados. E confirmou um primeiro-ministro sem ideias, sem preparação técnica e política para a função, que lança medidas sopradas por advisers sem qualquer filtragem – técnica, política ou de simples bom senso – e sem percepção das respectivas consequências.

A tentativa de justificação da medida da TSU chegou a atingir o ridículo: Vítor Gaspar tinha lançado aquela ideia inacreditável de controlar uma conta na qual as empresas guardariam os valores da TSU retirados às famílias; pois, Passos Coelho juntou-lhe agora a repercussão nos preços. Como funcionaria isso? Através das entidades reguladoras - respondeu com convicção -, as mesmas que tem deixado à rédea solta nos combustíveis e na energia… Para rir, se não fosse dramático!

Não explicou, mas também não lhe perguntaram, por que é que ainda há poucas semanas, no Pontal, tudo corria bem. E passou para o discurso da ameaça: para o eterno ou eu ou o caos

Sobre a privatização da RTP, depois de tudo o que tem feito correr, teve o desplante – não pode ser outra a expressão – de referir que está à espera das propostas dos advisers. Mau, francamente mau!

Mas a entrevista tem uma novidade: ou apanhou Paulo Portas ou abriu-lhe a porta com que ele vai bater!

Ah! Seguro também chamou as televisões à hora do telejornal, pouco antes da entrevista. Lamentável e também com o seu tesourinho deprimente: um imposto sobre as PPP!

Que desgraça…

 

Acompanhe-nos

Pesquisar

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Mais sobre mim

foto do autor

Google Analytics