Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Quinta Emenda

Tenho o direito de ficar calado. Mas não fico!

Quinta Emenda

Tenho o direito de ficar calado. Mas não fico!

PONTOS DE VISTA

Por Eduardo Louro

 

Os incidentes de ontem em Lisboa, que finalmente dão a imagem que temos andado a esconder – Portugal está igual à Grécia, apenas com uma pequena décalage temporal -, têm naturalmente leituras diferentes conforme a perspectiva de quem os olha. É sempre assim!

A malta da direita - coincidente discurso oficial - diz que a polícia apenas desatou a bater depois de mais de uma hora de enxovalhos e pedradas e de um pré-aviso de cinco minutos. Quem levou – mesmo assim não vão tão longe quanto Mário Crespo, não escondem que a polícia bateu mesmo, e a sério – só apanhou porque decidiu ficar. Pôs-se a jeito. E a polícia não poderia perguntar primeiro e bater depois…

A da esquerda diz que a polícia teve tempo suficiente para actuar sobre as poucas dezenas de provocadores encapuçados que atiravam pedras e garrafas e provocavam todo o tipo de desacatos, bem distintos dos manifestantes pacíficos. Para os perseguir, deter e identificar. Mas que não o fez, que preferiu antes utilizar as suas acções provocadoras para justificar a carga brutal e indiscriminada sobre todos os manifestantes. E para lançar perseguições por grande parte da cidade, estendendo a violência a zonas já bem distantes de S.Bento: há testemunhos de repressão policial no Cais do Sodré ou na Boa Hora.

O que pôde ver e ler da visão da malta da esquerda é sustentado por testemunhos pessoais. A da direita não tem, naturalmente – é malta que não se mete nessas coisas - qualquer sustentação testemunhal.

Sou, mais por isso que por outro motivo qualquer, levado a atribuir mais crédito àquilo que a malta da esquerda apresenta como versão dos factos. Depois, começo a perceber que as peças encaixam: o ministro anunciou um aumento de 10,8% para a polícia, quer dizer, o governo tratou, primeiro, de comprar a polícia. Para garantir que não haveria abraços e beijinhos para ninguém. O primeiro-ministro, como de resto o Presidente da República – que, como sabemos, não fez greve, trabalhou todo o dia com o seu homólogo colombiano – não tinham conhecimento de nada do que se passara. Também ele ao lado do presidente colombiano – a quem tinha estado informar do sucesso do nosso processo de ajustamento, dizendo que neste ano e meio Portugal tinha atingido todos os objectivos do programa – dizia que apenas sabia que “houve um problema no Parlamento”.

Mas, já hoje, ninguém poupa elogios à actuação da polícia. Passos Coelho garante que foi necessária “para desincentivar quaisquer abusos no futuro”. Ora aí está: dois coelhos numa só cajadada. Com esta acção da polícia – se o Mário Crespo estivesse deste lado já estaria a dizer que os provocadores, encapuçados ou não, eram da polícia – preveniu-se a participação em futuras acções de protesto: uma coisa é ver-se uma linda moça abraçada a um polícia outra, bem diferente e dissuasora, é ver a mesma polícia a distribuir bastão sem dó nem piedade. E calou-se o êxito da greve geral: televisões e jornais não falaram de outra coisa. Da greve já ninguém se lembra!

Pontos de vista…

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Acompanhe-nos

Pesquisar

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Mais sobre mim

foto do autor

Google Analytics