Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Quinta Emenda

Tenho o direito de ficar calado. Mas não fico!

Quinta Emenda

Tenho o direito de ficar calado. Mas não fico!

FUTEBOLÊS#137 PRESSING

Por Eduardo Louro

 

O futebolês volta a um anglicismo. Pressing não é apenas um anglicismo, é também uma importação do basquetebol.

Foi na modalidade da bola ao cesto que o pressing nasceu, tornando-se, mais tarde, num conceito básico estratégico do futebol. Pressing é o adjectivo que não tem a ver com o substantivo press (imprensa), mas com o verbo to press (premir; pressionar) O pressing traduz-se, assim e em sentido literal, em pressão.

Pressão é coisa que não falta no futebol, como se sabe. Pressão sobre os dirigentes, pressão sobre os treinadores, pressão sobre os jogadores, sobre os árbitros… E apenas para falar de agentes com intervenção directa no fenómeno!

Mas é outra a pressão a que o pressing se refere. É à pressão sobre a bola. Ou, já que a bola em si mesma é imune a pressões - segue o seu destino sem se incomodar com o que quer que seja, e sem dar confiança a ninguém, muito senhora do seu nariz - pressão sobre o jogador que a dirige ou que a transporta.

A pressão – alta ou baixa – é sempre pressão sobre o jogador que toca na bola, no sentido de o impedir de pensar ou executar, pressionando-o directamente ou tapando-lhe as linhas de passe, e tem como objectivo prioritário fazer com que a perca. Depois, bom …depois, outros valores se levantam. Há quem faça disso um fim em sim mesmo e quem faça disso o princípio de tudo. Há quem apenas se interesse em fazer perder a bola ao adversário para o impedir de construir o que quer que seja. Diria que são uns invejosos: como não sabem jogar à bola não deixam jogar os que sabem. É feio!

É feio ser invejoso, mas também é feio o jogo assim…

Mas há quem tenha boas intenções, ideias nobres. Há quem faça isso para retirar a bola a quem não sabe o que fazer com ela e, uma vez com ela na sua posse, desate a tratá-la como ela merece e só eles sabem. E se a perdem logo voltam ao pressing para a recuperar, e assim sucessivamente, durante os 90 minutos de cada jogo. São as equipas que fazem da posse de bola uma filosofia de jogo e da qualidade do trato uma cultura. São os gentlemen da bola, que ela reconhece como ninguém!

Como uma mesma atitude revela uma diferença de comportamento abissal. Uns, invejosos, querem roubar a bola, não para jogar, mas apenas para que os outros o não possam fazer: se a gente não joga, vocês também não! Outros, roubam-na para lhe dar – a ela, bola, e a nós amantes do jogo – o melhor!

Estamos a falar do Barcelona ou da selecção espanhola? 

Não, exclusivamente. Embora estejam aí os melhores exemplos do que se fala, todas as grandes equipas recorrem ao pressing para recuperar a bola porque sabem que só com ela, só tendo-a, podem expressar a superioridade dos seus argumentos.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Acompanhe-nos

Pesquisar

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Mais sobre mim

foto do autor

Google Analytics