Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Quinta Emenda

Tenho o direito de ficar calado. Mas não fico!

Quinta Emenda

Tenho o direito de ficar calado. Mas não fico!

50 ANOS

Por Eduardo Louro

 

Assinalar os 50 anos do que quer que seja – de idade ou de uma qualquer ocorrência marcante da nossa vida individual ou colectiva – é sempre motivo de envolvência emocional e de comprometimento. Com as pessoas, com os factos ou pura e simplesmente com a História…

Neste ano comemoramos 50 anos de muitos acontecimentos da nossa História contemporânea: 2011 é um ano de efemérides ao ritmo do redondo 50 ou não tivesse o destino querido fazer de 1961 um dos anos mais marcantes da ditadura de Salazar. Foi o verdadeiro annus horribilis do regime, o princípio do fim…

Acaba de se comemorar os 50 anos da Operação Dulcineia – o assalto ao Santa Maria, de Henrique Galvão, a mais romântica e espectacular acção de ataque ao regime (recomendo o filme de Francisco Manso, estreado em Setembro último e creio que ainda em exibição) – e já estamos hoje, 4 de Fevereiro, a assinalar os 50 anos do início da guerra colonial – provavelmente o mais marcante e decisivo acontecimento da nossa História a seguir aos descobrimentos.

Os movimentos anti-coloniais tinham germinado a partir da Conferencia de Bandung, em 1955 na Indonésia, de onde nasceria o movimento dos não alinhados, mas foi em Luanda, a 4 de Fevereiro de 1961, com o ataque de forças nacionalistas a prisões onde se encontravam detidos muitos dos seus militantes que, de facto, a guerra colonial começou. E, com ela, o irremediável aprofundamento do isolamento, interno e externo, da ditadura em Portugal.

Se a comemoração destes dois acontecimentos se encosta ao início do ano, as outras, deste excitante ano de 61, são empurradas lá para o fim: a 10 de Novembro, o mesmo Henrique Galvão desencadearia a operação Vagô – desvio (o segundo na história da aviação portuguesa) de um Super Constellation da TAP, que fazia o voo de Casablanca para Lisboa, obrigando-o a sobrevoar a capital, o Barreiro, Beja e Faro lançando milhares de panfletos -, a 4 de Dezembro dava-se uma espectacular fuga da prisão de Caxias, utilizando o carro blindado de Salazar, a 18 a invasão de Goa, Damão e Diu pela União Indiana e, mesmo na passagem de ano, a tentativa de ataque ao quartel de Beja.

O 25 de Abril, esse, ainda teria que esperar mais 13 anos!

 

Acompanhe-nos

Pesquisar

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Mais sobre mim

foto do autor

Google Analytics