Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Quinta Emenda

Tenho o direito de ficar calado. Mas não fico!

Quinta Emenda

Tenho o direito de ficar calado. Mas não fico!

Vuelta 2013

Por Eduardo Louro

 

 

Acabou a Vuelta 2013, agora é só chegar a Madrid. As três últimas etapas por terras – altos e baixos – asturianas apenas confirmaram a espectacularidade da Vuelta!

Tinha aqui dito à chegada do último dia de descanso, depois do Pirenéus, que as coisas se decidiriam entre os quatro - Nibali, Horner, Valverde e Rodriguez. Um deles seria o vencedor; um deles ficaria fora do pódio!

Fora do pódio ficou Joaquim Rodriguez - El Purito - não conseguindo no seu país repetir o que acabara de fazer em França. A confirmar a enorme dificuldade de estar no topo em duas - nas três é impossível - das grandes comeptições de três semanas. No último lugar do pódio ficou Valverde, que não lograra em França, apesar de excelente desempenho no Tour. A confirmar também o menor favoritismo que aqui lhes atribuíra, justamente pelo Tour que lhes pesava nas pernas.

A decisão da vitória ficou - e bem - entregue a Nibali e a Horner. E foi simplesmente espectacular!

Nibali foi resistindo ao longo das montanhas mas sempre em perda. O que ganhara no contra-relógio deu-lhe para gerir a liderança. Até certo ponto, até anteontem!

A primeira das três últimas e decisivas etapas, na chegada a Peña Cabarga, reduziu-lhe a vantagem para apenas 3 segundos. No dia seguinte, na chegada ao Alto Naranco, onde José Mendes chegou a dar a ideia de poder ganhar, chegando isolado ao último quilómetro, Horner atacou e ganhou 6 segundos, revertendo para si exactamente a mesma vantagem.

Ontem, na última, na mítica chegada ao Angliru, Nibali atacou, como não podia deixar de ser. Por duas vezes esteve na condição de virtual vencedor, por duas vezes o velho (42 anos e careca de sexagenário) Horner, cujo director desportivo é o nosso José Azevedo, respondeu. Foram os dois por ali acima, deixando para trás os dois espanhóis com que sempre conviveram na frente, e, quando parecia que a Nibali, com melhor ponta final, bastariam as bonificações na meta para ganhar, o americano quis deixar bem claro o que toda a gente já percebra: que era o melhor desta Vuelta!

Foi embora e ganhou. Espectacular!

Brilhantes os dois portugueses nesta terceira semana, sempre na frente naquelas subidas de arrepiar.

Acompanhe-nos

Pesquisar

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Mais sobre mim

foto do autor

Google Analytics