Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Quinta Emenda

Tenho o direito de ficar calado. Mas não fico!

Quinta Emenda

Tenho o direito de ficar calado. Mas não fico!

EXPLIQUEM LÁ, SE FAZEM FAVOR!

Por Eduardo Louro

 

Um mês depois ficou a saber-se que Sócrates e Passos Coelho se encontraram em S. Bento na véspera da apresentação do famoso PEC 4 em Bruxelas.

Saber-se de um encontro entre estas duas figuras um mês depois de ter ocorrido não é anormal. Não pode ser normal! Não se percebe como poderia não ser relevante para se tornar público! Se foi entendido conveniente mantê-lo privado não se percebe a razão. Se esse entendimento resultou de um acordo de cavalheiros entre ambos, menos se percebe ainda!

Quando o governo – Sócrates – foi tão duramente criticado por, ao arrepio de elementar espírito democrático, se ter vinculado a mais este PEC sem consultar o seu parceiro de lides PECianas e sem informar o presidente. Quando Sócrates sempre reagiu a isso precisamente (apenas) com o argumento de que tinha telefonado a Passos Coelho (quanto ao presidente justificaria que mais não fez que repetir o que sempre fizera – não informar previamente). E quando passou para o país que, mais que propriamente divergências de conteúdo sobre o PEC – conforme os imensos tiros nos pés de Passos Coelho – o que esteve em causa era a forma, a forma como Sócrates desprezou o(s) seu(s) parceiro(s) de tragédia, com as consequências conhecidas, nada disto se percebe.

Não se percebe que Sócrates não tenha dito que chamara Passos Coelho a S. Bento e que se tenha ficado pelo telefonema. Ninguém percebe o que teria Sócrates a ganhar com isso…

Ninguém percebe que, quando passou para o país que Passos perdera toda a confiança em Sócrates – o que todo o país percebia sem qualquer dificuldade - estes dois se pudessem entender em esconder tal encontro durante um mês.

Ninguém percebe que venha agora o aparelho do PS – eu ouvi Francisco Assis, mas não tenho dúvidas que muitos outros se seguirão – reclamar a mentira de Passos Coelho. Porquê só agora?

Como ninguém percebe a reacção de Passos Coelho: dizer, sem mais, que recebeu o telefonema e que foi chamado a S. Bento mas apenas para ser confrontado com o facto consumado!

O que é que terá acontecido agora? Por que é que, depois de já terem dito um dos outros o que Maomé não diria do toucinho, este ponto fraco permaneceu escondido? Por que é que, depois de o PS ter manipulado factos e mais factos para atacar o seu principal adversário, não utilizou este que seria um trunfo aparentemente bem mais legítimo?

É muita coisa que se não percebe. Não haverá ninguém que queira explicar?

Não me digam que foi a forma que encontraram para dar as boas vindas ao FMI…

 

 

 

1 comentário

Comentar post

Acompanhe-nos

Pesquisar

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Mais sobre mim

foto do autor

Google Analytics