Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Quinta Emenda

Tenho o direito de ficar calado. Mas não fico!

Quinta Emenda

Tenho o direito de ficar calado. Mas não fico!

VER CLARO

Por Eduardo Louro"Maioria do PSD é indispensável" (DE)

 

A entrevista de hoje de Pedro Passos Coelho à RTP pareceu-me extraordinariamente oportuna. Uma oportunidade perfeitamente circunstancial e, por isso mesmo, ainda mais oportuna. Porque permitiu estabelecer o paralelo com o número que Sócrates, apenas 24 horas antes, nos tinha apresentado!

Permitiu uma comparação chocante, tão chocante quanto se chocam dois estilos completamente opostos. Colocou lado a lado um político experimentado, altamente profissional, rebuscado, sagaz e astuto e um outro completamente amador e ingénuo – naif como diz Pacheco Pereira – franco e transparente, incapaz de disfarces.

Aos olhos da teoria política, e eventualmente na opinião de muitos politólogos e comentadores, o primeiro esmagará por completo o segundo. Acredito que o mesmo se passe aos olhos de algum eleitorado!

Aos meus não: aos meus revelou-se um político que nada deve e que, por isso, nada teme. Que nada esconde, e por isso fala verdade, mesmo que diga coisas com que não concordo ou que cometa erros que me pareçam básicos. Que é sério, franco e transparente, mesmo que ingénuo: em quem se pode confiar, mesmo sabendo que poderá cometer erros!

É por isso meu entendimento que esta comparação não é favorável a Sócrates. Como não o será a Portas, se for com ele a comparação! Quem é mais transparente é intrinsecamente mais sério!

Ah! E a entrevista permitiu finalmente esclarecer a estória do telefonema que foi reunião e que, confesso, a mim me tinha feito muita confusão. Tanta que aqui a trouxe por mais de uma vez! Pois, como se diz na gíria, Passos Coelho foi comido! É agora fácil de imaginar: Passos Coelho, que jurara não mais se encontrar com Sócrates, acabou por fazê-lo. Não tendo dado em nada, sem resultados e para salvar essa face, pede sigilo a Sócrates. Que, sem qualquer surpresa, o manteria apenas até à altura tida por mais interessante.

Claro que também não poderia fazer uso, como fez, da circunstância e da desconsideração de apenas ter sido informado por telefone. Não foi prudente e, de certo modo, de alguma forma legitimou a sacanice! Mas também fica claro que o acontecimento é não acontecimento: sem a importância que na altura lhe atribuí…

 

Acompanhe-nos

Pesquisar

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Mais sobre mim

foto do autor

Google Analytics