Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Quinta Emenda

Tenho o direito de ficar calado. Mas não fico!

Quinta Emenda

Tenho o direito de ficar calado. Mas não fico!

Há 10 anos

10 anos como professor – HOJE! | EvangeBlog

A questão da reestruturação da dívida está em cima da mesa. Não é uma questão ideológica, como se quer fazer crer, apesar de terem sido os partidos de esquerda – PC e Bloco – a introduzi-la no debate. É o próprio Economist, que nada tem a ver com as teses de esquerda, a recomendá-la.

Evidentemente que não é uma discussão oportuna, e é isso, é esse pormenor, que faz com que os restantes três partidos com representação parlamentar – que assinaram o memorando da troika – se mantenham à margem desta discussão. Não passa pela cabeça de ninguém estar nesta altura, quando o chamado programa de ajuda financeira externa está ainda em aprovação, se esteja a declarar que, nas condições que o governo acabou de aceitar e os restantes dois partidos – provavelmente governo dentro de um mês – de subscrever, não é possível pagar! Acabar de assinar um acordo e dizer que não é possível cumpri-lo não é aceitável. É surreal!

E no entanto assim é. Não há volta a dar-lhe!

As taxas de juro à volta dos 6% que os nossos parceiros europeus – o mau da fita não foi, como já se tinha percebido ao longo das três semanas que por cá estiveram, o temível e tenebroso FMI – decidiram aplicar-nos como medida de retaliação - a sova que os nossos amigos alemães e nórdicos entendem que merecemos – são incomportáveis para a nossa economia: uma economia em recessão neste e no próximo ano. Não há milagres!

É por isso que a reestruturação está para este tempo como a inevitabilidade do pedido de auxílio financeiro estava para o Verão passado. Então foi Sócrates quem quis negar essa evidência resistindo, com os custos que já se conhecem, apenas por seis meses. Agora é a própria realidade institucional a obrigar a negar esta evidência: não pudemos negociar coisa nenhuma, restou-nos a humilde condição de pedinte que aceita e não discute. Aos donos do dinheiro exigia-se que, para além da ânsia punitiva – eventualmente compreensível – lhes sobrasse algum bom senso, alguma noção da realidade e racionalidade na defesa do euro e da própria União. Que é a sua própria defesa!

Não tiveram nada disso. Ou porque não consigam sequer ter essa visão ou porque as conjunturas políticas internas lhes toldem a vista!

Agora é apenas uma questão de tempo.

Não será – espero – uma reestruturação “não pagamos”, como se pretende catalogar quando é a esquerda a falar dela, mas terá que ser uma reestruturação que altere muitas, se não todas, as condições em vigor. E, eventualmente, já com mais gente no barco!

Acompanhe-nos

Pesquisar

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D

Mais sobre mim

foto do autor

Google Analytics