Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Quinta Emenda

Tenho o direito de ficar calado. Mas não fico!

Quinta Emenda

Tenho o direito de ficar calado. Mas não fico!

Rússia 2018#6- Brasil a crescer e Espanha com passadeira

Resultado de imagem para mundial 2018 alemanha

 

Terminou a primeira fase do campeonato do mundo de futebol. A partir de agora é o mata-mata, como dizia o outro - quem perder, vai para casa.

Esta fase inicial, agora encerrada, é normalmente o calcanhar de Aquiles deste tipo de competições. Porque é frequente que seja grande o desiquilíbrio de valores, e sabe-se como a falta de competitividade tende a nivelar por baixo, e a levar a um certo relaxamento nas principais selecções. Mas também pelo calculismo que este tipo de apuramento envolve, pior ainda quando se conhece desde logo o alinhamento futuro da competição. E, por fim mas o mais importante, porque tudo isto rouba qualidade ao espectáculo, fazendo com que os jogos se arrastem, com reduzidos motivos de interesse e mesmo, especialmente na última jornada, com quebra do compromisso desportivo. É inaceitável, mais ainda quando os bilhetes têm preços exorbitantes, verdadeiramente pornográficos. O jogo de hoje, entre o Japão e a Polónia, fica como um dos piores exemplos disso. Com a agravante de ter apurado o Japão - a única selecção fora do eixo Europa-América a apurar-se - em detrimento da palpitante selecção do Senegal, através de um critério a que chamam de "fair play".

Alguma coisa a FIFA terá de fazer contra isto. Mas o mais provável é que não faça nada!

Das 16 equipas eliminadas, e já de regresso a casa, apenas 4 são europeias. Desde logo a maior de todas as surpresas - a Alemanha, campeã em título. A Polónia, também decepcionante, a Islândia, que desta vez já não conseguiu surpreender, como fizera no europeu, de França, e a Sérvia, de quem sempre se espera o melhor ou o pior. E que invariavelmente confirma o pior. As restantes doze esvaziaram completamente as representações do resto do mundo, resistindo apenas o México, da América Central e o Japão, da Ásia.

Apenas três selecções conseguiram ganhar todos os três jogos desta fase: Uruguai e Bélgica, nos dois gupos mais desiquilibrados, e ainda com a agravante de um sorteio ultra-favorável, que atirou para o fim o jogo mais competitivo, já com o apuramento decidido. E a Croácia, esta sim com grande mérito e, de resto, a que apresentou o futebol mais excitante.

A eliminação da Alemanha não foi apenas a maior surpresa, foi mesmo o maior escândalo da competição. Disse aqui logo no arranque da prova que os alemães eram favoritos, mas com algumas reservas. Porque em boa verdade, ao longo deste último ano, esta selecção alemã nunca confirmou a exuberância de há 4 anos, no Brasil. E muito menos a forma categórica como venceu, há um ano, nesta mesma Rússia, a Taça das Conferderações, com uma selecção à base de jogadores mais novos, não consagrados.

Não fosse a Alemanha a assumir este protagonismo, e lá estaríamos a dizer que era o VAR a figura maior desta primeira fase deste mundial. Lamentavelmente, ambos pela negativa.  Das chamadas tecnologias salvou-se o olho de falcão, de confirmação do golo. O VAR foi um desastre, exponenciando todos os factores negativos que lhe eram atribuídos, como bem ficou à vista naquele último jogo da nossa selecção, com o Irão.

Com jogos tão pobres não se poderiam esperar grandes exibições individuais. O nosso Cristiano Ronaldo começou bem, mas apagou-se nos outros dois jogos, com a agravante de ter falhado um penalti decisivo, e desapareceu dos tops. Esperemos que regresse. 

Nesta primeira fase sobressairam três jogadores, com o brasileiro Filipe Coutinho à cabeça, ofuscando completamente Neymar. Depois, o croata Modric, sempre a aproveitar estes grandes palcos, e o belga Hazard. 

Os grandes favoritos são, agora, o Brasil, a subir de rendimento e cheio de excelentes jogadores, e a Espanha que, não convencendo, acabou do lado simpático do alinhamento da competição, praticamente com uma passadeira estendida até à final. A passadeira que a nossa selecção tão bem conhece, e que desta vez entregou de bandeja aos espanhóis. Mesmo que a bandeja tenha acabado por ter sido servida pelo VAR...

Acompanhe-nos

Pesquisar

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D

Mais sobre mim

foto do autor

Google Analytics