Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quinta Emenda

Tenho o direito de ficar calado. Mas não fico!

Quinta Emenda

Tenho o direito de ficar calado. Mas não fico!

O engenheiro da estrelinha

Por Eduardo Louro

 

Fernando Santos tem mesmo estrelinha. Não é só porque se repetiu Copenhague. Se ganhar uma partida nos descontos, no último dos suspiros do jogo, é pouco comum, ganhar dois, e logo os dois mais importantes e decisivos do apuramento, é absolutamente extraordinário. Não é só porque a selecção fez isto tudo sem nunca fazer um grande jogo, nem é só porque, como na Dinamarca, o golo vem de um canto cobrado pelo Quaresma, desta vez com o remate feliz a sair da mais improvável das cabeças - a do Miguel, que não quer ser Veloso.

É estrelinha quando o golo é marcado por um jogador que há muito estava afastado da selecção, e que Fernando Santos ainda não tinha chamado. Tudo isso é estrelinha.  Mas estrelinha mesmo é quando Quaresma - a mais falhada das substituições, que entrara para substituir o melhor jogador em campo, e que na meia hora que estivera em campo não acertara uma - é decisivo no golo da vitória.  

Esta selecção de Fernando Santos não fez grandes exibições, é certo. Mas a qualificação está claramente assegurada, em claro contraste com o que vinha acontecendo em todos os últimos apuramentos.

Há quem lhe chame estrelinha. Outros gostam de chamar-lhe pragamatismo. Por mim, mais que estrelinha, acho simplesmente que Fernando Santos está a fazer render o grande investimento de especialização que fez na Grécia!

 

Pouco brilho e muito pragmatismo

Por Eduardo Louro

 

Sem brilho, mas com algum pragmatismo e alguma maturidade, a selecçao nacional ganhou (2-1) à da Sérvia, cheia de caras conhecidas, onde é regra que bons jogadores não formem uma boa equipa. Hoje, se bem que de maneira bem menos flagrante, não foi muito diferente, e a Sérvia foi sempre de menos para ganhar a uma selecção portuguesa pouco vibrante, mais segura que entusiasmante.

A selecção nacional foi Moutinho - verdadeiramente a única grande exibição - e Tiago. E foi Cristiano Ronaldo, porque é sempre Cristiano Ronaldo, mesmo quando troca, como foi hoje o caso, a sua inesgotável classe pela sua insuperável capacidade de trabalho. De ninguém se poderá dizer que tenha estado francamente mal, mas Danny voltou a confirmar que não é jogador de selecção. Definitivamente, não rende na selecção!

O resultado - hoje ninguém se pode queixar da sorte - acaba por ser o melhor do jogo. Porque - não haja dúvidas - a Sérvia é o adversário mais forte do grupo, mesmo que já praticamente arredada do apuramento. Ao invés, agora praticamente garantido pela selecção nacional!

Nem sempre o diabo está atrás da porta

Por Eduardo Louro

 

 

Às vezes é assim. Às vezes a sorte espreita, nem sempre o diabo está atrás da porta…

A selecção nacional hoje ganhou na Dinamarca, com um golo caído do céu – dos pés de Quaresma e da cabeça de Cristiano Ronaldo (pelo menos foi ele a fazer a festa) – nos últimos segundos dos cinco minutos de compensação, um jogo que esteve longe de ser bonito. Mas que não deixou de ser interessante, pelo menos do ponto de vista de análise.

Quer dizer: não foi bonito de ver, mas foi interessante de analisar!

A selecção nacional, em fase de assimilação de um novo esquema táctico – Fernando Santos abandonou o estafado 4x3x3 de Paulo Bento e acredita, como muito boa gente, que 4x4x2 em losango é o sistema táctico que mais se adequa à realidade actual do futebol português, que não tem pontas de lança – revelou grande anarquia durante o jogo. Temos que entender isso com alguma naturalidade, porque não é fácil alterar o sistema de jogo de uma selecção em tão pouco tempo.

A selecção deixou esticar o jogo, os sectores ficaram mais distantes uns dos outros, e a equipa teve grandes dificuldades em ligar o jogo e, assim, impor a superior capacidade técnica dos jogadores portugueses. Foi assim que o jogo acabou por cair para o lado que mais favorecia os dinamarqueses, obrigando a equipa nacional a jogar com as armas do adversário, em vez das suas. Foi sempre assim, e foi tanto assim que a Dinamarca teve sempre muito mais bola, ultrapassando em muito os 60% durante toda a primeira parte, e fixando – se, no final, lá bem perto.

Afinal, quando tudo parecia que iria dar certo, as contas saíram furadas aos nórdicos, que acabaram por morrer com os ferros com que têm matado! A selecção, agora de Fernando Santos – homem de fé, como é sabido –, acabou, quase que por milagre, por resolver o jogo nos últimos momentos, exactamente como a Dinamarca fizera nos dois jogos anteriores. Foi assim que ganhou à Arménia e foi assim que evitou no passado sábado a derrota com a Albânia. A tal!

Se esta exibição de hoje, muito abaixo da de sábado, contra a França, não permite grandes euforias, o resultado deixa a qualificação totalmente em aberto. Se chegou a parecer que a qualificação era uma questão de determinismo, agora é só uma questão de ser jogada!

 

Acompanhe-nos

Pesquisar

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Mais sobre mim

foto do autor

Google Analytics