Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quinta Emenda

Tenho o direito de ficar calado. Mas não fico!

Quinta Emenda

Tenho o direito de ficar calado. Mas não fico!

DEOs nos livre

Por Eduardo Louro

 

Percebia-se, pelos sucessivos adiamentos até mais não poder, que o famigerado Documento de Estratégia Orçamental (DEO, herdeiro do não menos famigerado PEC - Plano de Estabilidade e Crescimento) seria mais uma brincadeira. Mais faz de conta do mesmo!

Afinal, os impostos que não aumentavam, aumentam. Aumentam o IVA e a TSU. Lembram-se dela, há ano e meio atrás? Diz que é para repor 20% das pensões e dos salários perdidos dos funcionários públicos. E para converter em ordinária a extraordinária CES.

Afinal continuam mentirosos. E a fazer contas que não batem certo…

Afinal não aprenderam nada. E continuam a fazer de conta, a empurrar com a barriga sem tocar em nada que altere estruturalmente o que quer que seja. Não tocam em nada de estrutural no cálculo de pensões. Em nada que mude estruturalmente a função pública e o que é a sua remuneração. Como não mexeram ao logo de três anos em nada que mexesse estruturalmente com a economia. E com o Estado.

Afinal continuam a apresentar documentos atabalhoados, sem credibilidade política e técnica, cheios de papas e bolos para enganar tolos

A Europa quer e o DEO aparece...

Por Eduardo Louro

 

Afinal o DEO não levou o sumiço do avião da Malaysia Airlines, e vai ser apresentado hoje, ao fim da tarde. Pode não ter estado tão desaparecido como esse avião, mas tem pelo menos estado tão escondido quanto o fugitivo de S. João da Pesqueira. Vale que tinha data limite para aparecer - era hoje, e de hoje a Europa não deixava passar. 

Como tudo é tão transparente, com este governo... E previsível. Basta a Europa querer... 

 

GENTE EXTRAORDINÁRIA XXXVI

Por Eduardo Louro

 

Numa televisão, a propósito deste novo DEO – o Documento de Estratégia Orçamental, o novo demónio que Vítor Gaspar, de parto bem difícil, acabou de parir - perguntava o entrevistador ao entrevistado:

“Como é que se corta 6 mil milhões sem aumentar impostos”?

E o entrevistado desatou a verberar… sem corrigir a pergunta nem esclarecer na resposta.

Gente Extraordinária, esta que anda pelas televisões…

 

ATRAPALHAR

Por Eduardo Louro

                                                                      

Quando ontem o ministro Vítor Gaspar disse não minto, não engano nem ludibrio os portugueses deveria ter acrescentado “mas atrapalho”!

O episódio é sobejamente conhecido e resume-se em duas ou três linhas: os deputados tiveram conhecimento pela imprensa de um anexo do DEO (a nova designação que este governo encontrou para o estafado PEC) entregue em Bruxelas com a evolução da taxa de desemprego, e com números diferentes dos apresentados no documento base dado a conhecer na semana passada. Depois de levantado o problema na Assembleia da República o ministro fá-lo-ia chegar aos deputados, em inglês.

Quer isto dizer que, numa altura em que o PS vem ameaçando com a rotura do consenso em torno da política em curso, e quando esse consenso é apresentado como a grande vantagem comparativa de Portugal, atitudes destas é atirar gasolina para a fogueira.

O incidente foi evidentemente, e com toda a naturalidade, tema do dia. Daí que tenha sido campo aberto para o exército de comentadores que invade as televisões todos os dias. Do establishement, of course!

Que - coisa extraordinária - o desvalorizavam. Uns dando-o por irrelevante, outros salientando-lhe apenas a componente de confronto emocional, os excessos de linguagem e até de olhar, como referiu uma ilustríssima jornalista da praça. É realmente extraordinário que um acontecimento que perturba seriamente e põe objectivamente em causa aquilo que é, no seu entendimento, o mais importante activo (para usar a expressão do próprio ministro) da actual situação do país, não tenha importância nenhuma.

Este DEO, e todos os incidentes que já gerou, está a revelar-nos um governo cada vez mais parecido com o anterior. A excepção vai para as tropas, o governo de Sócrates já há muito que não tinha tropas.

Raramente se terá visto governo com tanta tropa por aí espalhada como este… Muitas das vezes uma tropa estúpida, de caserna, que não percebe que sai para defender o acessório e deixa desprotegido o essencial!

Tropas assim também atrapalham…

 

 

Acompanhe-nos

Pesquisar

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Mais sobre mim

foto do autor

Google Analytics