Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quinta Emenda

Tenho o direito de ficar calado. Mas não fico!

Quinta Emenda

Tenho o direito de ficar calado. Mas não fico!

GUERRA E PAZ

Por Joana Louro *

 

Acabei de chegar a casa depois de um dia de trabalho intenso... Já é tarde e estou cansada! Ligo a televisão num dos canais de noticias, na tentativa de fugir à deprimente programação dos canais abertos no suposto horário nobre, e deixo-a a falar sozinha enquanto preparo qualquer coisa para o jantar, de preferência rápido e saudável! Finalmente os meus primeiros minutos de sossego… Entre o jantar que se cozinha e a mesa que falta pôr, sento-me uns minutos no sofá atenta às notícias e o que o mundo tem para contar.

Pouco menos que deprimente: a crise por cá, por lá e por todo o lado. A Europa, a Alemanha e a Srª Merkel, que tem que perceber que tem de ajudar e que ora percebe ora não percebe. Nem eu, com tantas explicações dadas por tanta gente expedita no verbo que defende uma coisa e o seu contrário. Desisto, estou saturada deste cenário e não quero saber mais...

Acabo de preparar o jantar e ponho a mesa, enquanto recapitulo mentalmente (e involuntariamente!) os doentes que deixei internados no hospital... E detenho-me no Sr. Silva, o doente da cama 5, um doente simpático, que me trata por “menina doutora”, “ menina por carinho e doutora por respeito”, vai dizendo com um sorriso franco na tentativa de justificar a utilização destas duas palavras, numa tão curiosa associação. Tem pouco mais de 70 anos e, depois de uma vida inteira dedicada à agricultura, deveria estar a gozar a sua velhice (com aquela idade eu ainda deverei estar a trabalhar – foge-me o pensamento neste parêntese). Mas não está! Não está porque o corpo está doente, mas sobre tudo porque a mente também! “A minha mente está mais doente que o meu corpo, menina doutora, tantas que são as preocupações”, confessa-me numa voz que me enche o coração. Os dois filhos estão desempregados, eram trabalhadores não qualificados de empresas que a crise e a globalização destruíram. “Mas os meus netos, menina doutora, esses foram para a faculdade e também não têm emprego. E isto como é que se explica? Pensei que estudar era assegurar o futuro deles!”. E para assegurar o futuro e o estudo deles foi vendendo as terras, que tinham sido noutros tempos o sustento da família. “Se pelo menos tivesse as terras, podiam ser cultivadas” pelos netos doutores, faltava-lhe acrescentar ao desabafo...

Quis-lhe explicar que as coisas não seriam assim tão simples e que as opções de outros tempos não foram erradas, que nem tudo tem uma explicação lógica, que a vida e o mundo são bem mais complexos... mas não consegui, afinal o que é que uma menina doutora tem para ensinar a um Sr. Silva. Ofereci-lhe o meu sorriso mais sincero e profundo, o mesmo que esboçava enquanto punha o jantar na mesa.

Depois de jantar ainda fiz uma visita aos meus blogs preferidos, numa nova tentativa de me encontrar com as noticias e o com o mundo... mas era mais do mesmo. Desisto e desligo o computador.

Opto pelo sofá e pelo meu livro dos últimos meses “Guerra e Paz”. Outro mundo, outro tempo... Não melhor, nem mais fácil, simplesmente uma crise diferente... Mas pelo menos serve para desligar!

 

 

* Publicado hoje no Jornal de Leiria

Acompanhe-nos

Pesquisar

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts recentes

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Mais sobre mim

foto do autor

Google Analytics