Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quinta Emenda

Tenho o direito de ficar calado. Mas não fico!

Quinta Emenda

Tenho o direito de ficar calado. Mas não fico!

Palavrões novos. Ou nem por isso...

Por Eduardo Louro

 

 

Palavrões antes reservados a elites especializadas são hoje cada vez mais comuns. Quase todos os dias há novos palavrões a entrarem-nos pela porta dentro.

Hoje é de impostos diferidos que se fala. Qualquer coisa que ainda há pouco tempo só se conseguia ouvir da boca de gestores, auditores e contabilistas mais evoluídos, enche hoje as páginas dos jornais, como uma nova nuvem negra que ameaça os bancos. E já se sabe para quem sobram as ameaças sobre os bancos…

Impostos diferidos referem-se a tributações que no futuro deixam de se pagar em consequência de ocorrências presentes. É o que se passa quando, para efeitos de impostos sobre lucros, prejuízos de agora são abatíveis a lucros futuros. Quem, por via do prejuízo neste ano, vai pagar menos de impostos sobre os lucros nos próximos pode, de acordo com as práticas e os princípios contabilísticos, reflectir isso no seu activo.

Para os bancos, o governo decidiu o ano passado ir um pouco mais além – o que também não surpreende – e permitir-lhes que reflectissem isso nas contas de capital. Os prejuízos por que a banca tem passado comeram-lhe muito capital; com essa medida o governo “devolvia-lhe” boa parte dele, reduzindo-lhes assim as necessidades de reforço de capital para cumprir com os rácios (core tier 1) exigidos pelas normas de regulamentação bancária (Basileia III).

A União Europeia – curiosamente a medida (também utilizada nos outros países do sul) foi aprovada pelo governo em Junho passado, logo depois da saída da troika – pretende agora saber se isso configura, ou não, ajuda do Estado á banca.

Não sei se configura ajuda. Mas sei que configura chico-espertismo, e isso já não é palavrão novo. A esse já estamos habituados!

 

Acompanhe-nos

Pesquisar

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Mais sobre mim

foto do autor

Google Analytics